advogado correspondente brasilia

Depósitos judiciais são confiscados pelo Governo Mineiro

Discussão em 'Artigos Jurídicos' iniciado por sergio furquim, 02 de Agosto de 2015.

  1. sergio furquim

    sergio furquim Membro Pleno

    Mensagens:
    20
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Minas Gerais
    Deputados estaduais aprovaram nesta quarta-feira (8), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o projeto de lei que permite o uso de parte dos depósitos judiciais pelo governo do Estado. A reunião no plenário da Casa, que começou por volta das 9h, e foi marcada pela tentativa da bancada da oposição de tentar obstruir a votação por meio de um requerimento para adiamento da análise da proposta.

    O projeto foi aprovado por 50 votos a favor contra 17. Agora, os parlamentares devem passar boa parte do dia apreciando as emendas – ao todo são 64. Todas elas devem ser reprovadas pela base do governo, que está em peso no plenário nesta quarta-feira (73 dos 77 deputados marcaram presença).

    O texto é de autoria do Executivo estadual e do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e tramita em regime de urgência na Assembleia Legislativa. A proposta polêmica criou uma rixa entre parlamentares da base do governo e da oposição. Uma das justificativas da atual gestão para a aceitação da proposta, segundo o próprio texto enviado ao Legislativo, é o risco de contingenciamento dos salários dos servidores estaduais caso o PL 2.173/2015 não passasse.

    Prefeitos de municípios mineiros também entraram na briga para tentar barrar o projeto, que autorizaria o Estado a abocanhar 75% dos cerca de R$ 8 bilhões depositados em juízo referentes a todos os processos em Minas, incluindo aqueles em que as prefeituras e particulares são parte.

    Esta manobra por parte do Governo do Estado de Minas Gerais não passa de um confisco do dinheiro particular.

    Estes valores que estão depositados em contas judiciais a maiorias são dinheiro particular que estão esperando por desfecho na justiça.

    Uma pequena parte refere se taxas que são transferidas para o Governo Estadual.

    Como fica quando o valor for liberado pela justiça o governo vai fazer a liquidação de imediato ou vai fazer por via precatório onerando o contribuinte mais uma vez.

    Que pena que os deputados deram o aval para o Governo do Estado fazer o levantamento dos depósitos judiciais – valores estes que na maioria são de particulares. Isto é um confisco, apropriação indébita, agora acabei de crer que estamos caminhando para a volta da ditadura.

    Ditadura: governo autoritário exercido por uma pessoa ou por um grupo de pessoas, com supremacia do poder executivo, e em que se suprimem ou restringem os direitos individuais.

    Já não basta o maldito precatório em que o governo lesa o contribuinte.

    O que é o Regime Especial de Pagamento de Precatórios?

    É um regime criado pela Emenda Constitucional nº 62/2009 que permite que a dívida de precatórios seja paga em até 15 anos, seja pela divisão do seu estoque em parcelas anuais, seja pela destinação de percentuais, entre 1% a 2%, que incidirão sobre a receita corrente líquida da entidade devedora.

    Espero que a Ordem dos Advogados do Brasil- MG venha a intervir junto a Procuradoria Geral da República para que seja tomadas as medidas cabíveis ( ADIN).

    A OAB MG deve fazer um manifesto contra os Deputados que votaram a favor deste maldito projeto de Lei – deve divulgar os nomes dos deputados que votaram a favor deste projeto. Mais uma vez o Governo apropria do dinheiro alheio em seu favor.

    Com a palavra OAB MG e Conselho Federal.
  2. rodrigopauli

    rodrigopauli Rodrigo S. Pauli

    Mensagens:
    432
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Rio Grande do Sul
    Bom, 75% ainda é pouco, aqui no RS já se utiliza 85% dos depósitos, e vai ser enviado um projeto para utilizar-se 95%, segundo economistas isto daria uma fôlego de três meses ao Estado, depois disso seja o que deus quiser, pq não vai haver outra fonte de recursos a curto prazo para o ano corrente. O governo do RS vai arrastar as contas até o fim de 2015, quando pretende aumentar o ICMS da luz, água, gás e combustíveis, tentando equilibrar as contas. Economistas estimam que o aumento de ICMS talvez não surta a arrecadação esperada, pois a população não aguenta mais pagar imposto e deixa de consumir, uma medida mais adequada era o governo readequar o gasto da máquina pública à arrecadação, com programas de demissão voluntária de servidores, dispensa de ccs, cortes de gastos de viagem, combustível, telefone, até do cafezinho. Ao menos se fosse cumprido o teto constitucional, de nenhum servidor ganhar mais que a presidente da república, já se conseguiria estabilizar os gastos, mas o STF perdeu oportunidade de liquidar esta questão quando a matéria subiu para sua apreciação.
  3. drmoraes

    drmoraes Advogado

    Mensagens:
    297
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Rio de Janeiro
    De nada adianta aumentar impostos, isso só diminuirá a arrecadação.

    sobre isso, procure sobre a Curva de Laffer

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Curva_de_Laffer


    Mas o objetivo dos atuais governos é esse mesmo, diminuir o poder econômico da população, dessa forma ela tem menos meios de resistência.

    E então seremos escravos do governo. É o que acontece na Venezuela, Cuba, e em todos os países amigos do PT. Por mais que tenha oposição, como a economia está quebrada eles não tem como pegar em armas, ou educar o povo, estão mais preocupados é em comer

    A crise econômica no Brasil não é um erro de política, e sim deliberada para escravizar a população.
Tópicos Similares: Depósitos judiciais
Forum Título Dia
Direito de Família Alvará Judicial - levantamento de depósitos de cujus INSS 12 de Janeiro de 2016
Direito Civil, Empresarial e do Consumidor AÇÃO VISANDO A REVISÃO DOS DEPÓSITOS REFERENTE AO FGTS. 17 de Junho de 2015
Artigos Jurídicos Os Expurgos Inflacionários E A Prescrição Da Multa De 40 % Sobre Os Depósitos De Fgts 31 de Janeiro de 2012
Artigos Jurídicos Os Expurgos Inflacionários E A Prescrição Da Multa De 40 % Sobre Os Depósitos De Fgts 28 de Janeiro de 2011
Arquivos antigos Penhora on line e depósitos futuros 24 de Abril de 2008

Compartilhe esta Página