Ir para conteúdo



Foto
- - - - -

Desvio De Função


  • Por favor, faça o login para responder
6 respostas neste tópico

#1 Thomas

Thomas
  • Membro Pleno
  • 62 posts
  • Sexo:Masculino

  • Estado:MG

Escrito em 12 agosto 2011 - 17:35

Caros amigos.

Estou com uma dificuldade.

Há um empregado que fora contratado para o cargo de Prensista, porém executou essa função até 2006, quando passou a exerceu a função de Assistente Administrativo de Produção. A empresa não regularizou a situação dele e continuou pagando o salário de prensista.

Somente em 2010 quando o empregado reivindicou a empresa regularizou a situação, e colocou a função de Assistente Administrativo de Produção na CTPS e fixou o salário de R$ 1.500,00 para o cargo. Ou seja, salário bem maior do que aquele que recebia, antes de ser regularizada a situação, que era de 5,2 a hora, ou seja R$ 1.144,00 por mês (salário de Prensista).

Como a empresa não possui plano de cargos e salários, e possuía apenas mais um funcionário na mesma função de Assist. Admin. de Produção (também registrado como Prensista de forma irregular e recebendo salário a menor), estou em dúvida do que fazer.

Seria o correto pedir para ser aplicado ao período anterior a 2009 o salário de R$ 1.500,00? Teria alguma outra solução? O juiz poderia fixar com base no salário pago pelo mercado, ou para funcionário atividade equivalente dentro da empresa? Em que valor aconselho que devo me fundamentar para fazer o pedido de diferença salarial?

Grato desde já

#2 Thomas

Thomas
  • Membro Pleno
  • 62 posts
  • Sexo:Masculino

  • Estado:MG

Escrito em 12 agosto 2011 - 17:39

Só acrescentando, a Convenção Coletiva de Trabalho não preve o salário das funções nem os Acordos Coletivos.

#3 fel.mendonca

fel.mendonca
  • Membro
  • 18 posts
  • Sexo:Masculino

  • Estado:SP

Escrito em 15 agosto 2011 - 15:28

Dr. Tomas.

Se bem entendi, ele passou a exercer a função de assistente em 2006, sendo apenas registrado em tal função em 2010.
Eu pediria a equiparação de todo o periodo, no valor de R$ 1.500,00.

#4 Thomas

Thomas
  • Membro Pleno
  • 62 posts
  • Sexo:Masculino

  • Estado:MG

Escrito em 16 agosto 2011 - 23:19

Isso mesmo, ele estava registrado em outra função de menor complexidade até 2010, mas já exercendo a função de Assistente Administrativo de Produção.

Acredito que o melhor é essa alternativa mesmo né, até porque não vejo outra, SMJ.

#5 Raquel adv

Raquel adv
  • Membro
  • 11 posts
  • Sexo:Feminino

  • Estado:RS

Escrito em 27 agosto 2011 - 14:23

Colegas

Acredito que teria que fazer algumas análises antes do pedido, afinal o colega expôs que o outro empregado de mesma função recebe bem menos.
Assim, teria que analisar a partir de que data a empresa registrou na CTPS o salário de R$ 1.500,00, bem como a nova função (a que na verdade ele realizava).
Também tem as convenções coletivas, ver o que elas preveem, qual o piso salarial para a categoria.
Ademais, comprovar o desvio de função é bastante complicado, até porque ele tem apenas mais um colega, só analisando todas as questões envolvidas no caso mesmo.
Raquel adv

#6 Reinaldo Eisinger

Reinaldo Eisinger
  • Membro
  • 6 posts
  • Sexo:Masculino

  • Estado:SP

Escrito em 19 janeiro 2012 - 12:48

Boa tarde.

Creio que você deva fazer uma pesquisa dos dois itens sugestionados (pesquisa da média salarial de mercado / equiparação com função assemelhada na prórpia empresa) e pedir a reparação pelo maior salário pesquisado ou os R$ 1.500,00 assumidos pela empresa como sendo o salário inicial para a função de assistente adm de produção e obviamente todos seus reflexos. Além dos depósitos atrasados de INSS e FGTS.
O fato de ter outro empregado na mesma função só ajuda, uma vez que você disse que ele também está registrado como prensista, o que demonstra a habitualidade em que a empresa pratica o desvio de função, ferindo totalmente o princípio da boa fé.

Abraços

Editado por Reinaldo Eisinger, 19 janeiro 2012 - 13:08 .


#7 Thomas

Thomas
  • Membro Pleno
  • 62 posts
  • Sexo:Masculino

  • Estado:MG

Escrito em 18 março 2012 - 19:10

Obrigado aos prezados colegas
Para complementar, não entendo uma frase constante nos tribunais, essa abaixo em negrito:


"EMENTA: DESVIO DE FUNÇÃO. CARACTERIZAÇÃO. Para acaracterização do desvio de função basta apenas a comprovaçãode que a função existe e o empregado aexerceu, em desconformidade com a função na qual estava enquadradoe era remunerado, prescindo, portanto, de paradigma no mesmo estabelecimento.Na verdade, equiparação e desvio de função são institutos distintos.Além disto, também não prevalece a tese de que, para se configurar o desvio de função, a empresa tem que terquadro de carreira homologado e registrado no MTE, porque o princípio da isonomia assegura ao empregado receber salárioigual ao daquele que for pago para serviço semelhante, ainda que não hajadentro da empresa quem exercite a mesma função, conforme preceitua o artigo 460 da CLT, não sendo necessária a existência de planos de cargos e salários,que apenas organizam a estrutura interna da empresa." (TRT 3ª Região – Terceira Turma - 0176500-65.2009.5.03.0140 RO – Relator Bolívar Viégas Peixoto -DP: 19-07-2010)
"PROC. Nº TST-RR-509.785/1998.2(...)2 - MÉRITO DIFERENÇAS SALARIAIS E REFLEXOS POR DESVIO DE FU N ÇÃO. Cinge-se a controvérsia em saber se, comprovado o desvio funcional, o empregado vinculado à empresa que possui quadro de carreira faz jus ao percebimento das diferenças salariais decorrentes. Ao contrário do que afirma o Tribunal Regional, a existência de quadro de pessoal, em que os cargos são organizados em carreira, não é imprescindível quando da análise do pedido de diferenças salariais, em virtude de desvio de função. Isto, porque basta a comprovação de que a função existe no órgão e é exercida por empregado de outra categoria, sem ser de forma episódica ou eventual, para caracterizar o desvio de função."


Ora, comprovar que a função existe no órgão ou na empresa? essa existência que eles se referem, é a existência na prática, ou existência formal, ou seja, nos quadros da empresa? Se a empresa não tem em seus quadros ou em seus registros determinada função, mas na prática o empregado exerce a função, não tem ele direito a diferença salarial? Não bastaria a prova do exercício da função?

Editado por Thomas, 18 março 2012 - 19:13 .





0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membro(s), 0 visitante(s) e 0 membros anônimo(s)