Cargo Em Comissão - Dano Moral

Discussão em 'Direito do Trabalho' iniciado por FabioColber, 22 de Março de 2010.

  1. FabioColber

    FabioColber Em análise

    Mensagens:
    4
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Paraná
    Olá senhores! Fui procurado por uma amiga para acionar juridicamente um vereador...resumidamente ela ocupou um cargo em comissão sendo assessora de imprensa deste vereador, mas não aguentou ficar 3 meses trabalhando com ele, alegando sérios abalos morais. Minha grande dúvida é: qual ação seria pertinente neste caso e qual juízo competente? Estou a dias tentando buscar uma solução e não saio do lugar. Não é minha área, mas por ser uma grande amiga, gostaria de acompanhá-la. Grato desde já pela ajuda dos colegas. Fabio Colber.
  2. Ribeiro Júnior

    Ribeiro Júnior Membro Pleno

    Mensagens:
    1,297
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Bahia
    De acordo com a ADI 3395, encontram-se suspensas quaisquer interpretações da CF/88 “que inclua, na competência da Justiça do Trabalho, a apreciação de causas instauradas entre o poder público e seus servidores, com base em vínculo de ordem estatutária ou de caráter jurídico-administrativo”.

    Neste sentido:


    SERVIDOR PÚBLICO. NOMEAÇAO PARA CARGO COMISSIONADO. ALEGAÇAO DE DESVIRTUAMENTO DE VÍNCULO ADMINISTRATIVO. TEORIA DA ASSERÇAO. INCOMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO. EXTINÇAO DO FEITO. DESCABIMENTO. REMESSA DOS AUTOS AO JUÍZO COMPETENTE.

    A competência do órgão jurisdicional é definida em abstrato, a partir da narrativa contida na peça de ingresso da ação. No caso, desde a exordial, o vindicante descreve ter sido admitido a serviço do reclamado para exercer cargo comissionado, tencionando, em última análise, que esta Justiça Especializada examine as circunstâncias em que ocorreu a admissão por meio de vínculo administrativo, o que, levando-se em conta a teoria da asserção, não se encontra em sua esfera de competência, nos exatos termos da decisão de primeiro grau. Não vejo razão, porém, para decretar-se a extinção do feito. Isto porque, reconhecida a incompetência absoluta, deve o processo ser remetido ao juízo competente, por expressa dicção dos arts. 113, 2º, do CPC e 795, 2º, da CLT. Recurso parcialmente provido, para anular a sentença que extinguiu o processo sem resolução do mérito e determinar a remessa dos autos à Justiça Comum Estadual.
    TRT-13 - Recurso Ordinário: RO 107536 PB 00056.2009.004.13.00-5
    Relator(a): UBIRATAN MOREIRA DELGADO
    Julgamento: 03/06/2009
    Órgão Julgador: Segunda Turma
    Publicação: 31/07/2009


    Também aconselho a ler a seguinte decisão: http://www.conjur.com.br/2006-nov-06/justica_estadual_julga_acao_vinculo_estatutario


    Em sentido contrário:


    GUARDA CIVIL MUNICIPAL - CLASSE DISTINTA - CARGO EM COMISSÃO - COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO: "Os cargos com funções burocráticas, meramente técnicas ou operacionais, afastam a idéia de confiança e transitoriedade, requisitos presentes nos cargos em comissão, que, em razão das atribuições que lhe são inerentes, são ocupados por pessoa merecedora da confiança absoluta da autoridade que a nomeou, e, por isso, são declarados de livre provimento e exoneração (artigo 37 - inciso II, da CF). Se a prova dos autos indica que as atividades desempenhadas pelo obreiro não se revestem de qualquer singularidade, caracterizadora do típico comissionamento, deve ser afastada a alegação defensório de que o reclamante ocupava cargo em comissão, submetido a regime estatutário, sendo desta Justiça do Trabalho a competência para apreciar a demanda, ajuizada por empregado público". Recurso ordinário do reclamante a que se dá provimento parcial.
    Processo Nº: 20080198486
    Proceso TRT/SP Nº: 00152200620102008

    E também:

    CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. CARGO EM COMISSÃO SEM PREVISÃO LEGAL. INADMISSIBILIDADE. CONTRATO NULO. AUSÊNCIA DE VÍNCULO ESTATUTÁRIO. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO.
    1. A criação de cargo em comissão, sem o devido respaldo legal, de forma dissimulada e não condizente com a prática administrativa, é, na verdade, uma tentativa de se sobrepor a exigência constitucional de prévia realização de concurso público.
    2. O cargo comissionado exercido pelo reclamante não possui qualquer fundamentação legal, implicando na nulidade do contrato em questão, desde o princípio.
    3. A contratação irregular, em desatenção aos preceitos constitucionais sobre a matéria, atrai a competência da Justiça laboral para conhecer das causas daí decorrentes, tendo em vista a inexistência de relação estatutária. Precedente.
    4. Conflito de competência conhecido para declarar competente o Juízo da 5a. Vara do Trabalho de João Pessoa/PB, ora suscitante.
    STJ - CONFLITO DE COMPETENCIA: CC 91483 PB 2007/0264237-8
    Relator(a): Ministro NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO
    Julgamento: 13/08/2008
    Órgão Julgador: S3 - TERCEIRA SEÇÃO
    Publicação: DJe 20/08/2008


    Desta sorte, não sei lhe responder.


    Att.,
Tópicos Similares: Cargo Comissão
Forum Título Dia
Direito do Trabalho Cargo Público em Comissão Terça-Feira às 07:07
Direito Administrativo Cargo Em Comissão - Dano Moral 24 de Fevereiro de 2010
Direito Previdenciário Cargo De Comissão 28 de Setembro de 2009
Direito Administrativo Acumulação de cargos, possibilidade. 12 de Setembro de 2014
Direito do Trabalho Funcionario Reabilitado- Plano De Cargos E Salarios 02 de Abril de 2014

Compartilhe esta Página