Ação Popular

Discussão em 'Direito Constitucional' iniciado por Marcus Silva, 18 de Outubro de 2012.

  1. Marcus Silva

    Marcus Silva Em análise

    Mensagens:
    7
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Acre
    Olá Pessoal...

    Sabemos que a Carta da República no inciso LXXIII do artigo 5° dispõe que qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular. Cidadão é aquele que está em pleno gozo de seus direitos políticos. O eleitor (cidadão) com idade entre 16 e 18 anos possui voto facultativo. Este mesmo eleitor (cidadão) pode ser legitimado ativo na ação popular???

    Cabe lembrar que para o Direito Civil, a pessoa com idade de 16 a 18 anos incompletos é tratada como relativamente incapaz, a teor do artigo 4°, inciso I, bem como o artigo 8° do Código de Processo Civil diz que "os incapazes serão representados ou assistidos, por seus pais, tutores ou curadores, na forma da lei civil".

    O que acham???
  2. GONCALO

    GONCALO Avaliador

    Mensagens:
    1,486
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    São Paulo
    Boa tarde Doutor:

    É sabido que a Ação Popular é aquela concedida ao cidadãobrasileiro para pleitear a anulação ou declaração de nulidade de atos lesivosao patrimônio do Estado, permitindo o seu manejo também contra atos que atentemcontra a moralidade administrativa, o meio ambiente e o patrimônio histórico ecultural.

    Para sua interposição não há maiscustas judiciais, nem ônus sucumbenciais, exceto quando comprovada má-fé dolitigante - C.R.F.B. de 1988, art. 5º, LXXIII).

    Acredito que, se menor, o autordeve ser representado por seus pais, tutores ou curadores, sim.
  3. Otreblig

    Otreblig Membro Pleno

    Mensagens:
    185
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Rio Grande do Sul
    Olá colegas!

    O entendimento majoritário acerca do assunto é que as esferas não se confundem. O fato de o menor ser relativamente incapaz em nada obsta o ajuizamento da ação popular já que a sua legitimidade ativa advém dos seus direitos políticos. Logo, um menor com 16 anos poderá propor a referida ação sem a necessidade de ser assistido no processo, a única ressalva fica por conta da necessidade de advogado para tanto, eis que é necessária a capacidade postulatória para demandar em juízo.

    Grande abraço!
  4. Marcus Silva

    Marcus Silva Em análise

    Mensagens:
    7
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Acre
    olá pessoal...

    Para alimentar o debate, apresento um trecho do trabalho de Bernardo Pimentel Souza, professor bastante qualificado e que escreve com propriedade sobre o assunto, vejamos:


    "Por fim, apesar de o eleitor relativamente incapaz (ou seja, com mais de 16 anos e menos de 18 anos), devidamente alistado perante a Justiça Eleitoral, ter legitimidade ativa ad causam para, na qualidade de cidadão, ajuizar ação popular, carece ele da capacidade processual, conforme se extrai dos arts. 7º e 8º do Código de Processo Civil, combinados com o art. 4º, inciso I, do Código Civil. Por força do art. 22 da Lei nº 4.717, de 1965, os arts. 7º e 8º do Código de Processo Civil também alcançam a ação popular. Daí a conclusão: o cidadão menor de 18 anos tem legitimidade ativa ad causam, mas não a capacidade processual, razão pela qual necessita da assistência dos pais para ingressar com a ação popular." (in http://www.direitopublico.idp.edu.br/index.php/direitopublico/article/viewFile/271/603).
  5. sven

    sven Membro Pleno

    Mensagens:
    106
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Rio de Janeiro
    Concordo com Gilberto. A Ação Popular é remédio constitucional e não se submete à Código Civil nem ao Código de Processo Civil. Art 5o reza: 

    LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular

    e a lei 4717/65 diiz:

    § 3º A prova da cidadania, para ingresso em juízo, será feita com o título eleitoral, ou com documento que a ele corresponda.

    Assim, eleitor de 16 anos, mesmo não emancipado, é parte legitima.
  6. ArmstrongFilho

    ArmstrongFilho Em análise

    Mensagens:
    2
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Ceará
    Olá doutores!

    Na visão do professor Alexandre de Moraes, em seu livro sobre Direito Constitucional, ele cita que o cidadão que está entre 16 e 18 anos, mesmo que pelo Direito Civil, seja relativamente incapaz, é legitimado ativo para interpor Ação Popular, somente pelo fato de ser cidadão. Abraços!
  7. Roberto César

    Roberto César Membro Pleno

    Mensagens:
    555
    Sexo:
    Masculino
    Estado:
    Rio de Janeiro
    Bom dia,

    Tanto o Alexandre de Moraes quanto o José Afonso da Silva, dentre outros, estão entre os majoritários que entendem não haver necessidade de assistência, diante da autorização constitucional da legitimidade ao cidadão, ou seja, basta o título em mão para mover a Ação Popular. Mas é plenamente respeitável o entendimento de que a assistência se daria pela ausência de capacidade processual para estar em Juízo.
Tópicos Similares: Ação Popular
Forum Título Dia
Direito Administrativo Ação Popular 22 de Fevereiro de 2013
Direito Constitucional Ação Popular E Improbidade Administrativa 10 de Outubro de 2012
Notícias e Jurisprudências Ministro Celso De Mello Arquiva Ação Popular Contra Eleições Indiretas No Df 19 de Abril de 2010
Direito Constitucional Ação Popular 11 de Dezembro de 2009
Direito Constitucional Por Que Não é Possivel Prorpor Emenda Constitucional Por Ação Popular 27 de Abril de 2009

Compartilhe esta Página